Categorias
Poesia

Escola

Escola

Casimiro Cunha

Fita o mundo em derredor

E a vida que te bendiz;

Soma as bênçãos que te cercam,

Não te digas infeliz.

Onde estiveres, anota

Ao senso que te conduz:

O Sol igual para todos

É fonte jorrando luz.

Respirando, dia e noite,

Gastando ar e mais ar,

Pelas bênçãos que assimilas

Nada precisas pagar.

Toda mata é um quadro lindo

Em tela verde e formosa;

Ninguém explica na Terra

A beleza de uma rosa.

Águas claras rolam perto,

Caminhas … Podes colhê-las;

Tens a noite iluminada

Por lampadários de estrelas.

Atravessas mares, montes,

Primaveras encantadas;

Desfrutas árvores, frutos,

Cidades, campos, estradas…

Terra!… eis a escola bendita,

O lar tantas vezes meu!…

Não te digas infeliz

Na escola que Deus te deu.

 

Livro “Momentos de ouro” — Autores diversos pela psicografia de Francisco Cândido Xavier

Categorias
Poesia

Cantiga de gratidão – Maria Dolores

Cantiga de gratidão – Maria Dolores

O Céu te recompense, alma querida,

Porque ouviste o convite do Senhor

E nos trouxeste paz e luz à vida

Pela bênção do amor.

Deus te enriqueça as mãos ternas e ativas,

Mãos que buscam Jesus no irmão triste e sem nome,

Dissipando a penúria que o consome

Ao calor da bondade que cultivas.

Deus proteja a brandura a que te entregas,

Quando desculpas de expressão serena

Aquela mesma voz que te condena,

Desconhecendo as dores que carregas.

Deus te abrilhante a ideia justa e boa

Com que ouves ofensas sem guardá-las,

Para dizer somente no que falas

Aquilo que edifica e que abençoa.

Deus te ampare na fé que te sustém

Ao enxugar as lágrimas alheias,

Em tudo quanto inspiras e semeias

Nas tarefas do bem.

Deus te guarde na fé que te conduz

Vencendo tempo e luta, sombra e prova,

Porque contigo a vida se renova

Atendendo a Jesus.

Categorias
Poesia

Prece para Hoje

Prece para Hoje

Maria Dolores

Senhor!… Enquanto o tempo se renova

Nos vastos horizontes deste dia,
Aspiro a ser, onde me colocares,
A lembrança de paz e alegria.

Ante a explosão de amor com que envolves o mundo,
Deixa que eu seja um raio de esperança
A todo coração desalentado
Que procura encontrar-te e ainda não te alcança.

Que eu tenha os próprios braços no socorro
À penúria de todos os matizes.
Entretanto, senhor, faze de mim também a palavra de fé
Levantando na estrada os tristes e infelizes.

Converte-me a visão em caridade,
Dá-me o dom de servir sem perguntar a quem,
Conserva-me na escola do dever,
Faze de minhas mãos artífices do bem.

Ampara-me, Senhor, para que me transforme;
Na seara da vida e seja com quem for,
Num singelo canteiro de trabalho
A bendizer-te a luz e a florir-se de amor!

Livro Mãos marcadas

Por Espíritos Diversos pela psicografia de Chico Xavier

Categorias
Poesia

Felicidade

Felicidade

Casimiro Cunha

Se você busca ajustar-se
Aos estatutos do bem,
Na condição em que esteja
Some os recursos que tem.

Se aceita sinceramente
A bênção de Deus na fé;
Se usa a própria cabeça
Mantendo o corpo de pé;

Se guarda noção de rumo
De tempo, clima e lugar;
Se consegue defender-se,
Ver, ouvir e conversar;

Se pode estudar e ler,
Anotar e fazer conta;
Apresentar-se, vestir-se,
E sabe como se apronta;

Se tem o pão necessário,
Alguma saúde, asseio,
Um leito, a bênção de um teto
E o trabalho de permeio;

Se mostra existência útil,
Se respeita o seu vizinho;
Se pode amparar alguém
Nos empeços do caminho;

Então não pare na queixa;
Trabalhe, melhore e avance.
Conserve a felicidade,
Que ela está ao seu alcance.

Livro: Caminhos de volta

Por Espíritos diversos pela psicografia de Francisco Cândido Xavier

Categorias
Poesia

Prece a Jesus

Prece a Jesus

  Sê louvado, Senhor, pela bendita escola

  Da verdade, em que a Fé por sol se descortina,

  Restaurando de novo a Celeste Doutrina

  Em que o Mundo se eleva e a vida se acrisola.

 

  Templo, celeiro, lar, aconchego, oficina,

  Revelação, apoio, entendimento, esmola,

  Tudo que ampara, educa, alivia ou consola

  Em tudo aqui te exalta a Presença Divina!

 

  Enquanto o Mundo chora, anseia, luta e avança,

  Faze de nossa casa um pouso de Esperança

  Na construção do Bem à Luz que te descerra…

  Aspiramos contigo a ser, dia a dia,

  Uma forja de paz que trabalha e confia,

  Uma fonte de Amor na aspereza da Terra.

 

Livro: “Auta de Souza – a gentil mensageira do amor

Espírito Auta de Souza – psicografia Chico Xavier

Categorias
Poesia

Rumo Certo

Rumo Certo

Pretendes entrar na posse

Da Vida Superior!…

O caminho mais seguro:

Mais serviço, mais amor.

 

Queres alívio, sossego,

No coração sofredor…

A providência primeira:

Mais serviço, mais amor.

 

Desejas libertação

De mágoa, pena, temor…

O recurso que não falha:

Mais serviço, mais amor.

 

Desejas felicidade,

Resposta a sonhos em flor…

A receita da alegria:

Mais serviço, mais amor.

 

Sonhas a paz restaurada

De afetos a recompor!…

A base do entendimento:

Mais serviço, mais amor.

 

Solicitas do destino,

Saúde, amparo, vigor…

O programa necessário:

Mais serviço, mais amor.

 

Rogas roteiro adequado

Para encontrar o Senhor…

O ensino claro da vida:

Mais serviço, mais amor.

 

 

Por: Casimiro Cunha,

Do livro: Pássaros Humanos, Médium: Francisco Cândido Xavier – Autores Diversos

Categorias
Poesia

Maria

Maria

Auta de Souza

 

 

Toda a expressão de ternura

Do mundo de provação,

Nos Céus ditosos procura

A sua excelsa afeição.

 

Consolo das mães piedosas,

Cheias de mágoa e de pranto,

Sobre quem atira as rosas

Do seu Amor sacrossanto.

 

Ninguém diz, ninguém traduz

Essa visão da Harmonia,

Visão de paz e de luz,

Paz dos Céus! Ave-Maria!

 

Livro: Parnaso de Além-Túmulo

Chico Xavier por Espíritos diversos

Categorias
Poesia

Em homenagem a Chico Xavier

Em homenagem a Chico Xavier

Permita que o meu verso aqui registre

A pura candidez de tuas ternuras

Muito embora o sofrer das amarguras

Que o chão da terra impõe se administre!

 

Por amor a Jesus tu te apagaste

Em meio à ignorância deste mundo

Sorvendo a taça escura do contraste

Num esforço sincero e mais fecundo.

 

Em vão a sombra espessa te envolveu

Acenando com híbridas quimeras…

Estandarte das novas primaveras

Tua fé não vacilou e nem tremeu

 

Teu coração se fez em pouso santo

A iluminar os dias de descrença

A enxugar o mais pungente pranto

Dos pequenos do mundo em dor imensa.

 

A nova era enfim, Jesus de novo!

Trazendo pão e paz, luz e agasalho

Amar e esclarecer a alma do povo

É o ideal, teu lema de trabalho!

 

Por isto eu canto o pobre do meu verso

Sabendo que és tudo, menos cisco…

Para nós, tu serás sempre Francisco

O Cândido Xavier, do Universo.

 

 

Poema psicografado por Geraldo Lemos Neto em reunião pública no Centro Espírita Luz, Amor e Caridade em Belo Horizonte – MG na noite de 03 de abril de 2009.

Categorias
Poesia

Sempre o bem

Sempre o bem

  Bendito sejas, coração amigo,

  Buscando construir e elevar para o bem

  Sem destacar a treva

  Nem ferir a ninguém.

 

  Deus te guarde na lei do auxílio que nos rege

  Sempre que te dediques a expressar-te,

  À Excelsa Providência determina

  Que a bênção do socorro esteja em toda parte.

 

  Quem de nós, aprendizes do progresso,

  Estará esquecendo orgulho, possessão, vaidade, força bruta?

  Sem o amparo de alguém que nos tolere

  E nos minore a luta?

 

  Não vale maldizer a sombra em torno,

  Basta a fim de arredá-la humilde vela acesa,

  Unir e melhorar, ajudar e servir

  São determinações da natureza.

 

  Um pântano qualquer pode fazer-se, um dia,

  Campina surpreendente, em fruto e flor,

  Mas não prescindirá de mãos amigas

  Que lhe estendam recurso, auxílio e amor…

 

  Fita a cachoeira em ápices de força…

  Sem alguém que lhe oferte o controle da usina.

  É grandeza de ação deficitária,

  Alto poder entregue à indisciplina.

 

  Certo bloco de mármore do monte

  Rolou a flagelar canteiros de verdura,

  Mas um artista a educá-lo, dia a dia,

  Dele fez obra-prima de escultura.

 

  Pensemos quanto a isso, alma querida,

  Estendendo a esperança, ante a força do bem;

  Quem procura no amor a elevação da vida,

  Não se detém no mal, nem censura a ninguém.

 

Maria Dolores

 

Livro Tempo de luz – Chico Xavier por Espíritos diversos

Categorias
Poesia

Sempre com Jesus

Sempre com Jesus

Auta de Souza

 

Não te detenhas! Segue, alma querida,

Vara o próprio caminho em sombra e vento,

Resguarda o coração tranquilo e atento

E enriquece de amor o chão da vida.

 

Não te amargure o temporal violento

Que invade a Terra em fúria desmedida,

De esperança a esperança e lida em lida,

Dissiparás a angústia e o sofrimento.

 

Segue, plantando o bem por onde fores,

Deixando ao tempo o fel das próprias dores,

Por mais que a provação te envolva a estrada!…

 

Além da imensa noite, espessa e fria,

Cristo é o Divino Sol do novo Dia,

Anunciando a Nova Madrugada!…